Aplicações dos meios de cultura em microbiologia

Milhares de microrganismos vivem no interior e ao redor de nossos corpos e, muitos deles, podem ocasionar doenças graves. Para estudar os microrganismos foram desenvolvidas diversas técnicas para isolar e identificar o agente em laboratório.

Continue lendo abaixo

Descrição Geral

Aplicações dos meios de cultura em microbiologia 

  • Milhares de microrganismos vivem no interior e ao redor de nossos corpos e, muitos deles, podem ocasionar doenças graves. Para estudar os microrganismos foram desenvolvidas diversas técnicas para isolar e identificar o agente em laboratório.

    A microbiologia clínica tem um papel importante no diagnóstico e controle de doenças infecciosas. Porém a qualidade da análise está diretamente relacionada a qualidade de espécime coletado do paciente, a maneira como é transportado e as técnicas para detecção do microrganismo na amostra.

    A maioria dos testes baseia-se na capacidade de crescimento do microrganismo. Assim, as condições de coleta e transporte são fundamentais para garantir a viabilidade do patógeno. Mas o que é necessário para cultivar microrganismos em laboratório?

     

    Meios de Cultura

    Diferentes microrganismos têm diferentes exigências para o seu crescimento. Para que seja possível realizar a cultura e análise em laboratório é necessário conhecer quais as necessidades nutritivas e condições físicas para cada um.

    O material nutriente preparado para o crescimento de microrganismos é chamado de meio de cultura. Pelo fato de a cultura em laboratório ser requerida para o estudo detalhado de qualquer microrganismo, é necessária atenção criteriosa na seleção e no preparo dos meios para que o cultivo seja bem-sucedido.

    Deve-se verificar também a quantidade de água suficiente, pH adequado e a presença ou não de oxigênio.

     

    CULTIVO DE MICRORGANISMOS EM LABORATÓRIO

    Para a identificação do patógeno é necessário que uma amostra seja obtida do lugar da infecção. A amostra deve ser coletada com cuidado evitando contaminação com outros organismos.

    Depois o meio de cultura com os nutrientes necessários é preparado e esterilizado. Assim, garante-se que não há nenhuma outra forma de vida ou contaminação no meio. O patógeno é então inoculado.

    A cultura é incubada em condições que permitem o crescimento. Normalmente a inoculação será de uma cultura pura em um meio líquido ou sólido.

    PRINCIPAIS MEIOS DE CULTURA UTILIZADOS E SUAS APLICAÇÕES

    Meio Stuart

    K25-610012 Meio Stuart

    Princípio

    A carência de uma fonte de nitrogênio impede consideravelmente a multiplicação de microrganismos e a composição nutritiva garante a sobrevivência deles.

    Utilidade

    • Transporte de diversos materiais e consequente conservação dos microrganismos.
    • Conservação de microrganismos patogênicos como: Haemophilus spp., Pneumococcus, Salmonella spp., Shigella spp. entre outros.

     

     Agar Nutriente

    K25-610036 Agar nutriente

    Princípio

    O Nutriente ágar é um meio relativamente simples, de fácil preparação e muito usado nos procedimentos do laboratório de microbiologia.

    Utilidade

    • Ágar nutriente tem várias aplicações no laboratório de microbiologia, e pode ser utilizado para análise de água, alimentos e leite como meio para cultivo preliminar das amostras submetidas a exames bacteriológicos e isolamento de organismos para culturas puras.
    • O uso mais frequente é para a conservação e manutenção de culturas em temperatura ambiente neste ágar, como método opcional para os laboratórios que não dispõem do método da crioconservação (congelamento das cepas em freezer à – 70ºC).
    • Usado para observar esporulação de espécies de bacilos Gram positivos.

     

     

    Agar CLED – Cystine Lactose Electrolyte Deficient

    K25-610012 Agar CLED

     Princípio

    Usado para isolamento e quantificação de microrganismos presentes em amostras urina. A deficiência de eletrólitos inibe o véu de cepas de Proteus.

    Utilidade

    • Isolar e quantificar microrganismos Gram positivos, Gram negativos e leveduras.

     

     

    Agar Mueller Hinton

    K25-610033 Agar Mueller hinton

    Princípio

    Ágar padronizado por Kirby e Bauer e pelo NCCLS que oferece condições de crescimento das principais bactérias.

    Utilidade

    • Meio utilizado para a realização do teste de avaliação da resistência aos antimicrobianos pelos métodos de difusão em disco e e-test para enterobactérias, não fermentadores, Staphylococcus, Enterococcus sp.

     

     

     

     

     

    Agar MacConkey

    K25-610028 Agar Macconkey

    Princípio

    O cristal violeta inibe o crescimento de microrganismos Gram positivos especialmente enterococos e estafilococos.

    A concentração de sais de bile é relativamente baixa em comparação com outros meios, por isso não é tão seletivo para Gram negativos como, por exemplo, o ágar SS.

    Utilidade

    • Isolar bacilos Gram negativos (enterobactérias e não fermentadores) e verificar a fermentação ou não da lactose.

     

     

    Agar Salmonella Shigella (SS)

    Princípio

    Ágar SS possui componentes (sais de bile, verde brilhante e citrato de sódio) que inibem microrganismos Gram positivos.

    A incorporação de lactose ao meio permite diferenciar se o microrganismo é lactose positiva (bactérias que fermentam a lactose produzem ácido que na presença do indicador vermelho neutro resultando na formação de colônias de cor rosa) e bactérias que não fermentam a lactose formam colônias transparentes.

    O tissulfato de sódio e o citrato férrico permitem a detecção de H²S evidenciado por formação de colônias de cor negra no centro.

     

    Utilidade

    • Selecionar e isolar espécies de Salmonella e Shigella, em amostras de fezes, alimentos e água.

     

     

    Agar Sabouraud Dextrose

    K25-610103 Agar sabouraud dextrose

    Princípio

    Meio com nutrientes que favorece o crescimento de diversos fungos leveduriformes e filamentosos.

    Utilidade

    • Cultivo e crescimento de espécies de Candidas e fungos filamentosos, particularmente associados a infecções superficiais.
    • Caracterização macroscópica do fungo filamentoso (colônia gigante).

     

     

    Agar Sal Manitol

    K25-610029 Agar sal manitol

    Princípio

    O meio consiste na caseína digerida e tecido animal, extrato de carne, manitol, sais e vermelho de fenol. Os estafilococos podem crescer na presença de elevadas concentrações de sal e o S. aureus pode fermentar o manitol produzindo colônias de cor amarela.

     

    Utilidade

    • Meio seletivo utilizado para o isolamento de estafilococos.

     

    meios de cultura

    Conheça todos os meios de cultura comercializados pela Kasvi

     


    Referências:

    • ANVISA 1
    • ANVISA 2 
    • MADIGAN, Michael T. et al. Microbiologia de Brock. 14. ed. Porto Alegre: ArtMed, 2016.
    • PRADO, Felício Cintra; RAMOS, Jairo de Almeida; VALLE, José Ribamar. Atualização terapêutica: manual prático de diagnóstico e tratamento. 10. ed. São Paulo: Artes Médicas, 2005.
    • BROOKS, Geo. F. et al. Microbiologia médica de Jawetz, Melnick e Adelberg. 26. ed. Porto Alegre: AMGH, 2014.
    • TORTORA, Gerard J.; FUNKE, Berdell R.; CASE, Christine L. Microbiologia. 10. ed., Porto Alegre: Artmed, 2010.
    • MURRAY, Patrick; ROSENTHAL, Ken; PFALLER, Michael. Microbiologia Médica. 7.ed. Rio de Janeiro: Elsevier Brasil, 2015.

Pagamento

Comentários

Deixe seu comentário e sua avaliação







- Máximo de 512 caracteres.

Clique para Avaliar


  • Avaliação:
Enviar
Faça seu login e comente.